Google+ Followers

sábado, 13 de agosto de 2016

Miniconto "Espelhos"

"Não gosto de espelhos, minha mãe sempre alimentou em mim a ideia de que do outro lado do espelho existisse um universo paralelo e maquiavélico observando e reproduzindo as nossas vidas, representando o pior que existe dentro de nós. Por esta razão, toda vez que estivemos de luto por algum ente querido, ela cobriu a face do espelho com um manto preto. Uma superstição. Anos depois, quando minha mãe faleceu, fiquei tão triste que me esqueci de repetir o ritual. Após o seu enterro, ao chegar em casa sozinho, deparei-me com o espelho na parede oposta à porta de entrada, o reflexo da minha imagem esboçava um sádico sorriso."

(Texto: Pedro Paiva)
(Imagem: desconhecido)


Nenhum comentário:

Postar um comentário